Pub

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Herdade da Contenda: Programa de Caça Maior 2014/2015


 
 
Veja aqui o programa (clique na ligação):
 






terça-feira, 27 de maio de 2014

Ateliê Fotografia de Natureza - Não realizado

Com alguma pena minha, o Ateliê Fotografia de Natureza, anunciado no post anterior, acabou por não se realizar, ao que parece, por falta de participantes.
Esperemos que se venha a realizar numa outra oportunidade.

terça-feira, 13 de maio de 2014

Ateliê de FOTOGRAFIA DE NATUREZA

Mais uma iniciativa da Escola Nacional de Caça, Pesca e Biodiversidade

 

terça-feira, 6 de maio de 2014

ÉPOCA DE CAÇA 2014 / 2015


Pois é companheiros os anos passam a correr... e a nova época de caça - 2014/2015 - está aí à porta.
É já no próximo dia 1 de Junho de 2014 que tem início, oficialmente, a próxima época de caça.
Por isso, já começaram a chegar a nossas casas os AVISOS DE PAGAMENTO do seguro anual de caça que, legalmente, terão que estar liquidados até ao próximo dia 31 de Maio.
Fica a "lembrança"!

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Vereadores do PS (Beja) propõem que as Associações de Caçadores e Pescadores sejam incluídas no movimento associativo



Os vereadores do PS na Câmara Municipal de Beja solicitaram o agendamento para a reunião de câmara que se realiza hoje de uma proposta de inclusão das associações de caçadores no programa de apoio ao movimento associativo.
Segundo os vereadores as Associações de Caçadores e Pescadores desempenham um papel fundamental na gestão racional e sustentada não só dos recursos cinegéticos e piscícolas, como também dos habitats naturais que os sustentam. Para além disso, constituem-se nas freguesias rurais como pólos fundamentais de associativismo popular, da dinamização social e da promoção da educação ambiental.
Assim, não faz sentido que estas instituições não integrem o programa de apoio financeiro às associações e colectividades, quer no que diz respeito a actividade regular quer a actividade pontual, pelo que os vereadores do PS vão propor que o respectivo regulamento seja revisto de modo a incorporá-las neste instrumento de incentivo, suporte e dinamização do movimento associativo.
In: Newsletter N.º 1332 do Jornal "A Planície" - Moura - 02/04/2014

NEWSLETTER Nº 1332

sexta-feira, 21 de março de 2014

Dia Mundial da Árvore

 
O Dia Mundial da Árvore ou da Floresta celebra-se anualmente a 21 de Março. Neste dia decorrem várias ações de arborização e reflorestação, em diversos locais do mundo.
O objetivo da comemoração do Dia Mundial da Árvore é sensibilizar a população para a importância da preservação das árvores, quer ao nível do equilíbrio ambiental e ecológico, como da própria qualidade de vida dos cidadãos. Estima-se que 1000 árvores adultas absorvem cerca de 6000 kg de CO2 (dióxido de carbono).
30% da superfície terrestre está coberta por florestas, sendo nestas que se realiza a fotossíntese - produção de oxigénio a partir de dióxido de carbono. As florestas são apelidadas dos pulmões do mundo, não apenas pela sua função de manutenção e renovação dos ecossistemas, como pela sua importância em áreas estratégicas como economia e produção de bens e alimentos.

Origem do Dia

A celebração do Dia Mundial da Árvore ou da Floresta começou a 10 de Abril de 1872, no estado norte-americano do Nebraska (EUA). O seu mentor foi o jornalista e político Julius Sterling Morton, que incentivou a plantação ordenada de árvores no Nebraska, promovendo o "Arbor Day".
Em Portugal, a 1.ª Festa da Árvore comemorou-se a 9 de Março de 1913 e o 1.º Dia Mundial da Floresta a 21 de Março de 1972.
A 21 de Março comemora-se também o Dia Mundial da Poesia.

VEJA AQUI A NOTÍCIA ORIGINAL

quinta-feira, 20 de março de 2014

É preciso dignificar a imagem do caçador

Ao dar uma "vista de olhos" no
Portal de Santo Huberto 
descobri o texto que transcrevo em baixo
 e na íntegra, por achar que continua
actual e também por concordar com o autor.
____________________________________

«Não podemos continuar a ser humilhados e a ser tratados
 como malfeitores!»
É preciso dignificar a imagem do caçador

______________________________________________

Caros companheiros de caça: Depois de terem lançado a ideia de que havia infiltração de criminosos na aquisição de licenças de armas de caça, os Caçadores tornaram-se no inimigo público nº 1 deste País.

Obrigaram-nos a apresentar prova de não nos drogarmos e são conhecidas as buscas às residências de caçadores, sem a preocupação com as perturbações que essas buscas inúteis criaram junto de vizinhos e familiares.

Recentemente, tornou-se obrigatório fazer exame sobre manuseamento e conhecimento de armas. Aquilo que muitos de nós já fizeram nos cursos de oficiais ou sargentos milicianos ou simplesmente durante a recruta.

Perguntamos: o que é que aprenderá a mais sobre armas de caça quem fez o serviço militar e é caçador há dezenas de anos?!...E para que servem esses conhecimentos, se já no tempo da recruta o que importava era a prática?!... E esses cursos inibirão uma pessoa mal-formada de dar um tiro noutra ou a serrar os canos da arma para fazer um assalto a um banco?!...

Então, por que não impõem testes psicológicos?!... E, se estes têm uma larga margem de erro, por que não passam a exigir um teste ao ADN?!... É que há quem pense que a genética pode descobrir a tendência para o crime!

Não lhes parece que este patético espírito de tudo controlar, numa espécie de “construção”do “caçador puro” é muito semelhante ao espírito que levou à procura da raça pura?!...



Precisamos de tomar posição! Estamos cansados de sermos sujeitos a todo o tipo de vexame. É preciso dignificar a imagem do caçador!

Não podemos aceitar que os nossos filhos tenham medo de dizer que o seu pai é caçador.

Não podemos continuar a ser humilhados e a ser tratados como malfeitores!
Com tanta falta de policiamento de rua, não seria mais inteligente deslocar os polícias amarrados a essa carga de exames de efeitos inúteis para outros assuntos mais importantes?!...

A esta situação já se acrescenta uma outra: a caricata campanha de defesa dos direitos dos animais!... Como atribuir direitos a quem não tem responsabilidades para cumprir deveres?!...

Estão a fazer dos caçadores uns monstrozinhos, sem alma nem princípios. Ortega e Gasset escreveu um livro interessante sobre “Caça e Touros”, mas esta gente que nos “governa” lê pouco e sobre caça só entende o que lhe aparece no prato.

Precisamos de tomar posição! Estamos cansados de sermos sujeitos a todo o tipo de vexame. É preciso dignificar a imagem do caçador!

Temos de lutar pelo direito a que nos respeitem como pessoas dignas e não mal-formadas.

Precisamos de exigir que este governo deixe de burocratizar, com exames inúteis, como o de manejo de armas a quem fez o serviço militar ou já é caçador, a prática deste desporto.

Não podemos aceitar que os nossos filhos tenham medo de dizer que o seu pai é caçador.

Para prestígio deste desporto, que dá milhões ao Estado, tomemos posição.

Escrevamos cartas ao Primeiro Ministro, ao Ministro da Administração Interna e ao Ministro da Agricultura e, se não nos ouvirem, desenvolvamos uma campanha para que ninguém que goste da caça vote em quem persegue pessoas honradas que praticam esse desporto, porque gostam da natureza. O caçador faz a ponte com o interior, é o primeiro defensor dos ecossistemas e o que mais sofre com a degradação da natureza, causada por incêndios ou abandonos.

Não podemos continuar a ser humilhados e a ser tratados como malfeitores!

Divulguemos este pedido e não nos esqueçamos: quem nos trata mal, não merece o nosso voto! É o mínimo que fazemos pelo respeito que devemos a nós mesmos.

Com cumprimentos.

10/09/2008
João Baptista Magalhães